terça-feira, 16 de agosto de 2011

E agora?

E agora José? O gás acabou, o arroz queimou e o feijão não cozinhou? E agora José?

sábado, 13 de agosto de 2011

Equação Pessoal

Das coisas não esquecidas que aprendi na escola: figuras de linguagem e tabela periódica. A última nunca me serviu de nada. Seria-me mais útil a tabuada. Mas com essa matéria aí, sempre fui desleixada. E agora, sempre preciso de uma calculadora para contas matemáticas. Mas uma coisa é certa, aprendi o significado de metade e pares; e pra viver, isso basta-me.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Do que é bom

Entra na dança, fazendo-me tranças; dizendo que me ama e me levando pra cama.
Dei-me um pouco de mel, tire esse véu e me leva pro céu. Pensa um pouco na vida. Diga-me que ela é bonita e com um sorriso me felicita...
É meu aniversário, menina!

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Calorosa Poesia

O sol esquentava o céu e - também- o que houvesse debaixo dele. Aquele era um dia quente, daqueles de suar cabelos, buços e sovacos, muitos sovacos. Gente mal vestida, suada e fedida, tinha de monte naquele dia. Gente que fazia bem a vista, denominada: "colírios para retina" também tinha. Mal vestidas ou bem vestidas, feias ou bonitas, o que todos queriam era um emprego bom, com um salário digno pra que conseguissem se sustentar sozinhos nessa vida. Mas estava difícil, naquele dia quente, o que a empresa oferecia era trabalho superlativo, sem domingos, tanto de noite quanto dia. Seis horas e meia, todos os 6 dias. Aflito alguns ficaram, outros aceitaram porque precisaram. Mas a moça, de trança embutida, vestida de blusa azul piscina e calça escura de linho, não se contentou. Deu dois passos com seus sapatos apertados, daqueles que cada passo é um calo e indagou? - Sou estudada, sei bem das coisas da gramática, não posso ficar nessa vaga. Vocês querem que eu seja uma culta escrava?. Assustados, que dizer, mais surpresos que assustados todos olharam a moça e pensaram: "Essa aí se acha". Mas lá no fundo, tudo o que moça sentia é que era injustiçada. "Poxa, me dediquei tanto pra quase nada", ela pensava. Mas a moça, tinha um segredo, na verdade tudo o que ela queria é que tivesse alguém que a abraçasse antes de dormir e que a fizessem tranças no seu cabelo ao acordar. Mas ela era sozinha, sempre sozinha. E em dias de calor, como o daquele dia, lembrava das lonjuras da vida e bradava ao ventos preguiçosos que sofrer de distâncias era a parte mais difícil da vida, mas que muito em breve um bom trabalho ela conseguiria.

sábado, 6 de agosto de 2011

Sem

Há lágrimas órfãs por aqui. Culpa dos olhos, que não têm por quem chorar.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Prazer Inesperado

Se há algum tipo de magia no mundo, ela deve estar na tentativa de entender e compartilhar algo com alguém. Sei que é muito difícil conseguir isso. Mas e daí? As tentativas sempre nos trazem boas surpresas.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

segunda-feira, 1 de agosto de 2011